Livro “Paladares e Sabores com História”

“Paladares e Sabores com História. Receitas culinárias das antigas civilizações e da época medieval” (edição bilingue), de Carla Devesa Rodrigues e José Luís Neto, editado pelo Instituto Açoriano de Cultura (IAC), é apresentado no próximo dia 15 de abril, às 18h30, na Biblioteca Pública e Arquivo Regional João José da Graça, na Horta, no Faial.

“Com esta obra pretende-se dar a conhecer as estreitas relações existentes, ao longo do tempo, na cultura mediterrânica entre a sociabilização e a mesa. O livro segue o tradicional discurso civilizacional europeu e leva a cabo um percurso geográfico e temporal, com uma dimensão pedagógica e lúdica. Estamos, pois, em presença de um livro de gastronomia que é mais do que isso, porquanto efetua a defesa intransigente da importância da história e do património no desenvolvimento da identidade e na consciência da cidadania e assenta em princípios e valores que se consideram fundamentais na sociedade contemporânea. Apelando aos sentidos e às sensações, transversais aos tempos e civilizações, propõe-se aqui uma miscelânea de complexa estratigrafia, que modelou a cultura europeia através da degustação e das suas múltiplas influências”, refere, numa nota, o IAC.

Segundo o IAC, “a comida, os temperos e os odores que a confeção dos alimentos libertam são, como muito bem assinalou Fernand Braudel, uma marca distintiva dos povos e revelam dinâmicas populacionais que ajudam a perceber a nossa história”.

“A obra em apreço vem mostrar isso mesmo, elucidando-nos quanto ao modo como se cozinham determinados produtos, como se confecionam determinados pratos. Fá-lo, num périplo pelo globo ou por diferentes civilizações, périplo esse acompanhado por breves notas que explicitam usos e costumes, bem como crenças e desejos, e que nos dão a oportunidade de viajar pelo tempo e pelos lugares”, acrescenta o IAC.

Carla Devesa Rodrigues é técnica do Museu de Angra do Heroísmo. É pós-graduada em História e Arqueologia Medievais pela FCSH – Universidade Nova de Lisboa.

José Luís Neto é diretor do Museu da Horta. É doutorado em Arqueologia pela Universidad de Salamanca.

 

Deixe uma resposta